2 de dezembro de 2019

MotorStorm Pacific Rift


Talvez já tenham notado pela minha lista de análises que arcade é de longe meu tipo favorito de corrida.

Claro que eu gosto de simuladores como Gran Turismo, mas a liberdade que o arcade dá aos estúdios e os resultados que temos por causa disso são motivos mais que suficientes para que eles me conquistem.

No PS1 e PS2 eu já gostava de alguns jogos off-road, mas a verdade é que a maioria deles eram sérios demais e MotorStorm foi o primeiro a realmente me convencer que um off-road poderia ser tão insano e cheio de vida quanto um Burnout ou um Need for Speed. Então pouco depois de comprar o primeiro jogo (pouco mesmo, pois o primeiro jogo não oferece muito a se fazer depois de zerar) eu precisei comprar sua sequência, Pacific Rift! Vejamos se ele continua divertido depois de mais de uma década!

MotorStorm Pacific Rift

Desenvolvedora: Evolution Studios

Lançamento: 2008

Plataformas: PlayStation 3

26 de novembro de 2019

Sly Cooper and the Thievius Raccoonus


Das três grandes séries de plataforma do PS2, Sly Cooper geralmente é a que fica de lado esquecida (mas pelo menos ela ganhou um quarto jogo, não é Jak and Daxter?), mas particularmente sempre foi minha favorita.

O primeiro da série que joguei foi o segundo, onde eu gastei muitas e muitas horas, e eventualmente joguei o resto da trilogia quando arrumei a Collection do PS3.

Sinceramente, eu não sei como eu conseguia jogar tanto uma sequência e nunca me importar com os outros jogos da série! Diabos, hoje em dia eu tenho dificuldade até em começar no meio de uma série de jogos de corrida!

Talvez essa seja uma situação ainda pior, mas não vem ao caso. Falemos de Sly Cooper and the Thievius Raccoonus, o primeiro jogo do nosso querido guaxinim ladrão!

Sly Cooper and the Thievius Raccoonus

Desenvolvedora: Sucker Punch

Lançamento: 2002

Plataformas: PlayStation 2

18 de novembro de 2019

Burnout Dominator


Depois de quatro Burnouts no PS2, a Criterion decidiu que seu trabalho ali estava feito e que era hora de partir para a próxima geração. A senhora Electronic Arts, por outro lado, achou que ainda dava para tirar uns trocados dos donos do console da Sony, então a ideia de Burnout Dominator nasceu.

Um novo estúdio ficou no comando do projeto e, para não arriscar em coisas novas na fórmula, o jeito foi juntar vários elementos dos jogos passados e entregar a mistura ao jogador.

Será que deu certo? Pois sigam-me os bons para a análise!

Burnout Dominator

Desenvolvedora: EA UK

Lançamento: 2007

Plataformas: PlayStation 2 e PSP

16 de novembro de 2019

Top 8 - Pistas do MotorStorm


Poucos jogos de corrida dão tanta importância às suas pistas quanto MotorStorm. Claro, temos inúmeros exemplos de pistas muito bem projetadas por aí, mas MotorStorm trata seus circuitos como personagens principais, praticamente dando personalidades para cada uma delas.

Conforme jogamos é normal criar uma certa escala das pistas mais legais até aquelas que não ligamos tanto, então hoje decidi fazer um post para mostrar a minha lista.

Falarei só das pistas do primeiro jogo por enquanto, pois é o que acabei de jogar e assim consigo falar de todas, depois quando jogar outros títulos da série volto com rankings específicos deles.

Também nem vou contar as que vieram através de DLC, afinal parte delas foi feita só para o multiplayer online e hoje em dia só seria possível aproveitá-las no Time Trial, o que é uma mancada enorme!

Ora bolas, esse é um dos motivos pelo qual precisamos de uma MotorStorm Collection!

Mas isso é assunto para outro dia. Vamos ao ranking!


11 de novembro de 2019

MotorStorm


Eu gosto de dirigir agressivamente nos games desde que me lembro. Adorava Road Rash, Driver, GTA, Crash Team Racing, Twisted Metal, Burnout e vários outros. Muitas e muitas horas da minha juventude foram gastas simplesmente colecionando takedowns em Burnout 3.

Mas devo dizer que mesmo toda essa experiência em dirigir loucamente e partir para cima dos inimigos não me preparou totalmente para MotorStorm. Ele foi meu segundo jogo de corrida no PS3 (logo depois de Burnout Paradise) e raios, certas corridas aqui parecem com uma manada de animais selvagens atravessando a floresta como se não houvesse amanhã, sendo que no meio dela você pode ser um elefante, um rinoceronte ou uma gazela indefesa!

E pense numa manada caoticamente divertida! Por isso MotorStorm é uma das minhas séries favoritas de corrida, então vamos para a análise!

MotorStorm

Desenvolvedora: Evolution Studios

Lançamento: 2006

Plataformas: PlayStation 3

4 de novembro de 2019

Porky Pig's Haunted Holiday


Eu tinha planejado essa análise para o halloween do ano passado, mas na época o Blogger decidiu apagar todo o meu texto sem nenhum motivo aparente. Eventualmente reescrevi e deixei para postar no Halloween deste ano, mas então esqueci totalmente e a data passou mais uma vez.

E, como não estou a fim de esperar mais um ano para falar de um jogo como esse, o jeito é postar agora mesmo. Afinal ele nem mesmo é um jogo de terror, não precisa de uma data especial!

Porky Pig's Haunted Holiday

Desenvolvedora: Phoenix Interactive Entertainment

Lançamento: 1995

Plataformas: SNES

21 de setembro de 2019

Streets of Rage


O gênero beat'em up foi um dos primeiros que joguei na minha vida. Algumas das minhas lembranças mais distantes são de jogar o Mega Drive da minha irmã, com títulos como Streets of Rage e Golden Axe, além de outros como Sonic, Quackshot, Aladdin, Road Rash e Super Hang-On.

Coincidentemente, jogos de plataforma, corrida e beat'em up estão entre meus gêneros favoritos até o dia de hoje. Os beat'em ups praticamente sumiram nas gerações seguintes, enquanto os de corrida e de plataforma sobreviveram melhor, mas ainda assim continuo adorando uma boa e velha pancadaria em 2D.

E, sendo Streets of Rage um dos primeiros jogos que experimentei, é natural que eu tenha um ponto fraco nostálgico por ele. Então falemos dele na análise de hoje!

Aliás, não sei vocês, mas não consigo olhar para a imagem acima e pensar "caramba, esse Axel Stone é um cara muito durão!". Essa expressão estranha é como se ele estivesse com nojo por ter sujado a mão com sangue, ou que ele acabou de pintar as unhas e está soprando para que elas sequem mais rápido!

Streets of Rage

Desenvolvedora: Sega

Lançamento: 1991

Plataformas: Mega Drive

16 de setembro de 2019

Grand Theft Auto: Vice City


Em 2001 a Rockstar lançou GTA III, que foi um tremendo sucesso, colocou a série num novo patamar e é lembrado até hoje como um dos jogos mais revolucionários e influentes da história.

Então em 2002 colocaram mais um capítulo na saga, o Vice City. Em um ano eles naturalmente não conseguiriam entregar outro título revolucionário, mas mesmo assim Vice City é lembrado com muito carinho e ainda é o GTA favorito de muitos, então hoje é dia de conferir de onde vem tamanha popularidade!

Grand Theft Auto: Vice City

Desenvolvedora: Rockstar North

Lançamento: 2002

Plataformas: PlayStation 2, Xbox e PC

9 de setembro de 2019

Road Rash


De todos os gêneros de games, acredito que o que mais se beneficiou da transição do 2D para o 3D foram os jogos de corrida. Jogos de plataforma e de luta muitas vezes são até melhores em 2D, jogos de ação e RPGs funcionam bem e tiro não ficava bom em primeira pessoa, mas pelo menos tinha os Run 'n Gun (que são bem maneiros) para compensar.

Já jogos de corrida enfrentavam uma dificuldade considerável: a vista lateral ou de cima eram ângulos péssimos para o gameplay, isométrico nem sempre funcionava e imitar um efeito 3D decentemente era uma tarefa e tanto. Então sempre que vejo um jogo de corrida bem feito nos 16 bits eu fico imaginando quantas virgens tiveram que sacrificar para alcançar tal bruxaria.

Mas onde há vontade há um jeito, então certos estúdios realmente conseguiram essa proeza para a nossa diversão. E é de um desses casos que falaremos hoje!

Road Rash

Desenvolvedora: Electronic Arts

Lançamento: 1991

Plataformas: Mega Drive

26 de agosto de 2019

Quem jogou lembra: o impacto do primeiro colosso


Shadow of the Colossus é o meu jogo favorito de todos os tempos.

Foram dezenas de horas jogando e rejogando o jogo no PS2, mais dezenas lendo sobre ele e escrevendo no Forbidden Lands, além de várias outras horas na versão HD do PS3 e algumas no remake do PS4. Eu ainda não sei quando vou escrever uma análise dele, afinal é uma responsabilidade, mas hoje vou tomar um tempo para falar do momento que na minha opinião é o mais memorável do jogo e um dos mais memoráveis dos games: o encontro com Valus, o primeiro colosso.